Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11067/5935
Title: Perfis afetivos e sintomatologia ansiosa em adultos
Author: Leal, Joana Patrícia Gonçalves
Advisor: Pires, Ana Meireles Sousa
Keywords: Psicologia
Psicologia clínica
Avaliação psicológica - Ansiedade - Adultos
Bem-estar - - Aspectos psicológicos
Teste psicológico - Escala de Afeto Positivo e de Afeto Negativo (PANAS)
Teste psicológico - Medida de Autoavaliação Transversal de Sintomas
Issue Date: 2021
Abstract: Objetivo: O principal objetivo deste estudo é perceber se existem diferenças ao nível da sintomatologia ansiosa em função dos perfis afetivos. Outro objetivo deste estudo é verificar se existem diferenças ao nível da sintomatologia ansiosa em função de diferentes variáveis sociodemográficas. Metodologia: Participaram neste estudo 95 indivíduos (64 do género feminino e 29 do género masculino), com idades compreendidas entre os 18 e os 70 anos. Para avaliação dos perfis afetivos foi utilizada a Escala de Afeto Positivo e de Afeto Negativo (PANAS) e para avaliar a sintomatologia ansiosa foi utilizada a Medida de Autoavaliação Transversal de Sintomas de Nível 1 do DSM-5. Foi ainda utilizado um questionário sociodemográfico para recolher informações acerca dos indivíduos e das suas condições de vida. Os referidos questionários foram preenchidos autonomamente pelos participantes e, posteriormente, os dados foram analisados com recurso ao software estatístico SPSS. Resultados: Foram encontradas diferenças estatisticamente significativas ao nível da sintomatologia ansiosa em função dos perfis afetivos. No entanto, não foram encontradas diferenças ao nível da sintomatologia ansiosa em função das variáveis sociodemográfica, escolaridade, estado civil, género e idade. Conclusão: Os perfis afetivos podem ser um bom indicador da presença de sintomatologia ansiosa, o que permite na prática desenvolver um trabalho mais preventivo do que remediativo.
Objective: The main objective of this study is to see if there are differences in terms of anxious symptoms due to the affective profiles. Another objective of this study is to verify if there are differences in terms of anxiety symptoms due to different sociodemographic variables. Methodology: 95 individuals participated in this study (64 females and 29 males), aged between 18 and 70 years. The Positive Affection and Negative Affection Scale (PANAS) was used to assess affective profiles and the DSM-5 Level 1 Symptom Cross-sectional Self-Assessment Measure of DSM-5 was used to assess anxious symptoms. A sociodemographic questionnaire was also used to collect information about individuals and their living conditions. These questionnaires were filled in autonomously by the participants and, subsequently, the data were analyzed using the statistical software SPSS. Results: There were statistically significant differences in terms of anxious symptoms due to the affective profiles. However, no differences were found in terms of anxious symptoms due to the socio-demographic variables, education, marital status, gender and age. Conclusion: Affective profiles can be a good indicator of the presence of anxious symptoms, which allows, in practice, to develop a preventive rather than remedial work.
Description: Exame público realizado em 31 de maio de 2021, às 10H
Dissertação de mestrado em Psicologia Clínica
URI: http://hdl.handle.net/11067/5935
Document Type: Master Thesis
Appears in Collections:[ULP-IPCE] Dissertações

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertação de mestrado.pdf
  Restricted Access
Dissertação de mestrado1,97 MBAdobe PDFView/Open Request a copy


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis Logotipo do Orcid 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.