Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/11067/483
Título: A memória sensitiva da mão esquerda do violinista : contribuições para uma otimização da aprendizagem
Autor: Lopes, Pedro Manuel Rodrigues, 1988-
Orientador: Pinheiro, Ricardo Nuno Futre, 1977-
Moreira, Pedro Filipe Russo, 1981-
Palavras-chave: Violino - Instrução e estudo
Violino - Métodos
Violino - Estudos e exercícios
Data: 11-Out-2013
Resumo: As novas condições de conhecimento, consequência da rápida revolução tecnológica, puseram à disposição ferramentas de estudo nos domínios da atividade cerebral em tempo real, como por exemplo, a ressonância magnética. A sua aplicação na produção científica com base na análise da atividade performativa dos músicos, embora emergente é, ainda, escassa e torna-se realmente muito pouco significativa, se não quase nula, no que respeita ao caso específico do violino. O objetivo central deste estudo é entender até que ponto essa produção já se encontra desenvolvida e de que forma pode sobrepor-se positivamente às teorias empíricas do estudo do mesmo, sugeridas por pedagogos e passadas, essencialmente de forma oral, através de gerações de violinistas. No caso específico da mão esquerda do violino, os instrumentistas enfrentam a dificuldade da falta de referências palpáveis e/ou visuais para produzir frequências sonoras específicas (ou notas musicais). As pontas dos dedos sucedem-se consecutivamente, após muito estudo, de uma forma quase automática (formação de sequências digitais complexas). Neste sentido, a compreensão do fenómeno implica uma investigação não só anatómica mas principalmente neurológica e fisiológica. A revisão bibliográfica comparativa sugere que, pelo menos, nove linhas orientadoras do estudo, para a otimização do desempenho da mão esquerda: (1) uma primeira abordagem crítica e paciente da obra; (2) o estudo lento e variado (rítmica e metricamente) das passagens; (3) a imprescindibilidade da orientação auditiva interior; (4) a média de 4 a 6 horas de estudo por dia; (5) a pertinência do descanso pós-estudo; (6) o reconhecimento do ensaio mental como uma poderosa e efetiva ferramenta de estudo; (7) a importância de uma boa noite de sono; (8) o benefício do contacto com performances corretas e superiores; (9) a contribuição da prática regular do exercício físico no aumento do controlo motor em performance. Através de entrevistas a pedagogos de renome no panorama musical português e internacional, tentou entender-se quais as reais necessidades práticas de um estudo desta natureza. Os mesmos apelam, essencialmente, à descoberta de orientações de carácter geral que possam ser moldadas considerando a individualidade do aluno. Por fim, um estudo instrumental teve como intuito aplicar e observar, à falta do acesso a ferramentas mais precisas, o impacto da aplicação das linhas orientadoras sugeridas pela revisão da produção bibliográfica mais atual, de forma descritiva e reflexiva.
Descrição: Dissertação de mestrado em Ensino de Música, Universidade Lusíada de Lisboa, 2012.
Exame público realizado em 25 de Março de 2013.
URI: http://hdl.handle.net/11067/483
Tipo de Documento: Dissertação de Mestrado
Aparece nas colecções:[ULL-FCHS] Dissertações

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
mem_pedro_lopes_declaracao.pdf
  Restricted Access
Declaração446,83 kBAdobe PDFVer/Abrir Request a copy


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis Logotipo do Orcid 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.