Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/11067/3500
Título: Prevalência e determinantes das perturbações músculo-esqueléticas em adolescentes
Autor: Martins, Rosa
Andrade, Ana
Moreira, Helena
Campos, Sofia
Almeida, Artur
Palavras-chave: Aparelho locomotor - Doenças
Adolescência - Doenças
Data: 2-Ago-2017
Resumo: As perturbações músculo-esqueléticas nos adolescentes, têm aumentado na última década para níveis bastante preocupantes, com tendência para a cronicidade e manutenção na idade adulta, o que representa um problema grave de saúde pública. Identificar a prevalência das perturbações músculo-esqueléticas em adolescentes e analisar a sua correlação com as variáveis sociodemográficas, circunstanciais e antropométricas. Trata-se de um estudo não experimental, transversal, descritivo-correlacional e de caráter quantitativo, que envolveu 137 adolescentes de três escolas do distrito de Viseu. O estudo foi realizado com recurso a um questionário que integra variáveis sociodemográficas, antropométricas, circunstanciais, um “questionário da atividade física” para avaliar a prática de atividade física e o “Questionário Nórdico Músculo-Esquelético” para avaliar as perturbações músculo-esqueléticas. Os dados mostram que 41,6% dos adolescentes não apresenta qualquer perturbação músculo-esquelética nos últimos 12 meses, porém em 58,4% esta está presente, localizando-se sobretudo nas pernas/ joelhos (47,4%), coluna dorsal (37,2%), coluna lombar (35,8%), coluna cervical (35,0%) e ombros (34,3%). Observa-se ainda que as perturbações músculo-esqueléticas são mais prevalentes nas raparigas, nos adolescentes com altura superior a 1,59 m e pertencentes a classes socioeconómicas mais baixas. Também os que usam a mochila apenas sobre um ombro, que veem televisão por períodos superiores a 10 horas semanais e igual tempo a jogar jogos de vídeo/computador apresentem maiores perturbações. O nosso estudo reforça a ideia que as perturbações músculoesqueléticas nos adolescentes é elevada, têm origem dinâmica, multifacetada e multidimensional, tornando-se imperativa a implementação de intervenções de reabilitação e readaptação promotoras de um funcionamento músculo-esquelético otimizado.
Descrição: Revista de psicologia da criança e do adolescente. - ISSN 1647-4120. - V. 7, n. 1-2 (Janeiro-Dezembro 2016). - p. 73-82
URI: http://hdl.handle.net/11067/3500
ISSN: 1647-4120
Tipo de Documento: Artigo
Aparece nas colecções:[ULL-IPCE] RPCA, v. 7, n. 1-2 (Janeiro-Dezembro 2016)

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
rpca_v7_n1-2_5.pdf298,91 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis Logotipo do Orcid 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.