Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/11067/3359
Título: A fachada enquanto "limite" espacial em Alvar Aalto
Autor: Sousa, Bruno Daniel Madaleno Pereira de, 1986-
Orientador: Manoel, Bernardo de Orey, 1969-
Palavras-chave: Fachadas (Arquitectura)
Aalto, Alvar, 1898-1976 - Crítica e interpretação
Data: 1-Jun-2017
Resumo: No presente estudo procuramos compreender o papel do plano de fachada como limite definidor espacial. É neste sentido que consideramos os conceitos de limite e de espaço, remetendo-nos para uma análise do corpo humano, e de como este interage com o espaço e com o limite que o formaliza. O limite enquanto definidor de espaço pode agir como um elemento relacional entre o interior e o exterior, conjugando a nossa percepção sensorial com os elementos arquitectónicos artificiais e o espaço exterior natural. Para tal procede-se em primeiro lugar a uma decomposição do conceito do limite, e da maneira como este surge, como uma necessidade ao modo de habitar o espaço. Entender o conceito de limite e a noção de fronteira, como estes se comportam, como influi nos domínios e nas realidades que lhes são adjacentes, as mais importante ainda de que forma o conceito de charneira acontece entre duas realidades. Constrói relações entre o público e o privado e decompõe noções de privacidade e segurança em oposição da exposição. Em segundo lugar estudamos vários elementos definidores espaciais que constroem estas relações, como os planos, e espaços mediadores de transição, como os pátios e os alpendres. Deste modo, observamos como o plano vertical se assume como o elemento arquitectónico limite por excelência, articulando-se com o conceito do projecto, e se estabelece não só como uma barreira divisória mas também a possibilidade de ser uma “ponte” entre o interior e o exterior, entre o público e o privado na obra de Alvar Aalto. Esta dissertação justifica, fundamenta e aprofunda a investigação que gerou a proposta de final da cadeira de Projecto III: estudar a cidade de Lisboa com um nexo urbano; que se articula perante as constantes transições encontradas na realidade ribeirinha que se prolonga a partir do cais Sodré até à estação de Santa Apolónia. Pretende-se, estudar a complexidade e potencialidades do limite na elaboração de um espaço público e privado.
Descrição: Dissertação de mestrado integrado em Arquitectura, Universidade Lusíada de Lisboa, 2013
Exame público realizado em 18 de Setembro de 2013
URI: http://hdl.handle.net/11067/3359
Tipo de Documento: Dissertação de Mestrado
Aparece nas colecções:[ULL-FAA] Dissertações

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
mia_bruno_sousa_dissertacao.pdfDissertação12,15 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis Logotipo do Orcid 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.