Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/11067/3129
Título: Na linha do horizonte : diálogos entre a arquitectura e a escultura na intervenção arquitectónica da Fortaleza de Nª Srª da Ínsua
Autor: Veiga, André Luís da Silva
Orientador: Pimentel, Joana Filipa Nieto Guimarães
Palavras-chave: Arquitectura
Escultura
Lugar (Filosofia) na arquitectura
Tempo
Espaço (Arquitectura)
Arquitectura vernacular
Arquitectura militar
Forte da Ínsua
Caminha
Data: 4-Abr-2017
Resumo: No encontro entre o céu e o oceano, a linha do horizonte, representa fisicamente o lugar inalcançável do imaginário humano. Expressa a ânsia do subconsciente pelo vazio, pelo fim e pelo nada. Enquanto lugar do imaginário, representa a busca incessante do Homem por si mesmo, pelo desconhecido, e por oposição, confirma a certeza expressa pela terra firme, do Ser como pertença física no mundo. Na Linha do Horizonte estabelece-se o limite ao olhar humano, das formas que lhe são reconhecíveis, é essa linha de charneira entre o conhecido e o desconhecido; território dual, pertença de todos e de ninguém, da terra e do horizonte, elemento intermédio entre a realidade concreta, e o imaginário poético. Nesta dissertação desenvolvemos uma reflexão centrada na relação entre o Homem, a Arquitectura e o Território, considerando para o efeito um caso prático específico, o Concelho de Caminha e o Lugar da Ínsua. Abordamos o diálogo interdisciplinar considerado pela arquitectura, que relaciona o Homem, o objecto arquitectónico e o território, e nos permitiu fundamentar uma totalidade arquitectónica significativa, espaço existencial, que permite ao ser-humano estar em paz num lugar protegido, reconhecendo a experiência e validade do lugar como totalidade que dá forma e sentido às suas dimensões físicas e mentais. Propomos uma forma arquitectónica que dando resposta às diversas circunstâncias que determinam a sua singularidade, nos permite explorar as diversas dimensões associadas à prática disciplinar. Compreendemos ainda os tipos de práticas de intervenção no património que reúnem o consenso entre arquitecturas do passado e expressões arquitectónicas contemporâneas. Fundamentados nas opções formais e conceptuais que deram corpo arquitectónico ao projecto desenvolvido, realizamos uma investigação que considera a interdisciplinaridade entre a arquitectura o a escultura. O nosso propósito na investigação analítica realizada foi compreender os princípios formais, conceptuais, espaciais, artísticos e de linguagem, que nos permitem afirmar a existência de modelos arquitectónicos e escultóricos que se situam no limite, e estabelecem uma ambiguidade de valores reconhecíveis em ambas as práticas disciplinares - arquitectura e escultura.
The intersection of the sky and the ocean, the horizon, physically represents an unreachable place the human imagination. It expresses the subconscious longing for the void, the end, and the nothingness. As an imaginary place, it represents man's relentless porsuit for himself and the unknown; on the other hand, it confirms the certainty expressed by the land, of Being as a physical belonging in the world. Within the Horizon, a middle line between the known and the unknown, the limit of the eye is set, as are the forms that are recognizable; it is a dual territory belonging to everyone and no one, to earth and the horizon; an intermediate element between reality and the poetic imaginary. In this dissertation, we developed a reflection based on the relationship between Man, Architecture and Territory, considering for the purpose a specific practical case study, the Municipality of Caminha and place of Insua. We approach the interdisciplinary dialogue considered by architecture, that relates the Man, the architectural object, and territory, letting us substantiate a significant architectural totality, an existential space, that grants the human being a peaceful and protected place, appreciating the experience and value of the place, as a totality which gives form and sense to its physical and mental dimensions . We propose an architectural form, responding to all circumstances that determined its singularity, allowing us to explore the diverse dimensions linked to disciplinary practice. We also comprehended the types of practices of intervention on patrimony, which reach the consensus between the architectural forms of the past and the contemporary architectural expressions. Supported on the formal and conceptual options that gave architectural form to the developed project, we conducted an investigation that considered the interdisciplinary between architecture and sculpture. Our main goal in this analytical investigation was to understand the formal, conceptual, spatial, artistic and language principles, allowing us to affirm the existence of architectural and sculptural that lie at the limit, and establishing an ambiguity of recognizable values ​​in both disciplinary practices - architecture and sculpture.
Descrição: Dissertação de mestrado em Arquitectura.
Exame público realizado em 26 de Fevereiro de 2014.
URI: http://hdl.handle.net/11067/3129
Tipo de Documento: Dissertação de Mestrado
Aparece nas colecções:[ULP-FAA] Dissertações

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Dissertacao de mestrado.pdf115,56 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis Logotipo do Orcid 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.