Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/11067/1572
Título: Microcidades operárias no contexto da Revolução Industrial : o caso singular da Companhia União Fabril (C.U.F.), Barreiro, Portugal
Autor: Henriques, Sara Sofia Moedas, 1990-
Orientador: Azevedo, Orlando Pedro Herculano Seixas de, 1963-
Palavras-chave: Arquitectura industrial - Portugal - Barreiro
Arquitectura industrial - História
Companhia União Fabril - Edifícios
Data: 9-Jul-2015
Resumo: A presente dissertação tem como objectivo compreender a especificidade das unidades tipológicas fabris. Os estudos referem-se ao período entre os séculos XVII e XX, e têm por base uma concepção de evolução e adaptabilidade dos complexos fabris na Europa. É elaborado um estudo complementar através da análise de um conjunto de casos específicos que visam retractar não só, a caracterização de diferentes contextos sociais e políticos na conjuntura da Revolução Industrial, como também, as distintas expressões do desenho arquitectónico de tipologias morfológicas fabris, através de um reconhecimento dos espaços físicos de implantação e respectiva envolvente. Relativamente ao período supramencionado, são casos abordados, entre os séculos XVlII e XIX, as Workhouses em Inglaterra; no século XVIII, as Salinas Reais de Arc-et-Senans, em França, e no século XIX, a Companhia União Fabril do Barreiro, em Portugal. São temáticas a abordar, num contexto comum aos três casos, noções definidoras dos seus principais propósitos organizativos e estratégicos, que corporizam a génese da sua identidade e a acção da sua ocupação como organismos autónomos do meio tanto rural como urbano em que se inserem. Como verdadeiras cidades muitas vezes enclausuradas ao universo exterior que as acolhe, são definidas como megaestruturas detentoras de uma estratégia programática que soma as principais premissas de funcionamento de uma microcidade e as infra-estruturas necessárias à viabilização da sobrevivência humana, neste caso, corporalizada pela classe operária sujeita a uma vigilância e controlo impostos por barreiras físicas ditadas pelo novo ser da economia, filho da revolução industrial, que força a concretização de um objectivo, cego e único, de produção sem precedentes.
Descrição: Dissertação de mestrado integrado em Arquitectura, Universidade Lusíada de Lisboa, 2015
Exame público realizado em 8 de Julho de 2015
URI: http://hdl.handle.net/11067/1572
Tipo de Documento: Dissertação de Mestrado
Aparece nas colecções:[ULL-FAA] Dissertações

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
mia_sara_henriques_dissertacao.pdfDissertação14,08 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis Logotipo do Orcid 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.