Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/11067/861
Título: A satisfação com a vida em idosos institucionalizados e não institucionalizados
Autor: Seixas, Eunice José Carvalho Nogueira de, 1980-
Orientador: Martins, Rosa Maria Lopes, 1956-
Antunes, Marina Manuela Santos, 1951-
Palavras-chave: Envelhecimento - Aspectos sociais - Portugal
Idosos - Cuidados domiciliários - Portugal
Idosos - Assistência em instituições - Portugal
Idosos - Relações com a família - Portugal
Serviço social com idosos - Portugal
Data: 10-Abr-2014
Resumo: Enquadramento: O envelhecimento bem-sucedido tem mostrado estar fortemente associado à satisfação com a vida percepcionada pelos idosos, embora saibamos que esta é influenciada por múltiplas variáveis. Assim, o objectivo central deste estudo consiste em identificar níveis de satisfação com a vida, em idosos institucionalizados e não institucionalizados e analisar os factores que exercem influência nessa satisfação. Métodos: Trata-se de um estudo do tipo quantitativo, de carácter não experimental, transversal e descritivo-correlacional. Participaram no estudo, 126 idosos (65 residentes no seu próprio domicilio e 61 institucionalizados) constituindo uma amostra não probabilística por conveniência. O instrumento de colheita de dados utilizado foi um questionário composto por uma secção de caracterização sociodemográfica, de caracterização situacional; uma escala de Apgar Familiar para avaliar a funcionalidade familiar; uma Escala de Satisfação com a Vida e ainda uma Escala de Depressão Geriátrica; Para o tratamento estatístico foi utilizado o programa SPSS versão 19. Resultados: A amostra é maioritariamente feminina, viúva, com uma média de idades de 75,29 anos. Possuem baixas habilitações literárias e baixos recursos económicos estão reformados por limite de idade. São maioritariamente católicos, vivem em meio rural, em casa própria ou em instituições. São visitados por amigos e vizinhos e têm percepções de ajudas (cuidativas e financeiras) muito positivas, sobretudo o grupo Dom; Praticam pouco exercício físico e as actividades realizadas são essencialmente caminhadas e ginástica. Avaliam as famílias como altamente funcionais, sendo estas percepções mais positivas no grupo Dom do que no grupo Inst. Revelam ainda nunca ter tido depressão antes dos 65 anos e talvez por isso apresente estado depressivo considerado normal. Apenas 12,7% revela depressão acentuada, estando esta ligada ao grupo Institucionalizado. Conclusão: Os níveis de satisfação com a vida apresentados por estes idosos são variáveis, uma vez que 41,6% apresenta uma elevada satisfação, 32,0% apresenta baixa satisfação e 26,4% referem uma satisfação moderada. Os valores são mais positivos nos elementos do grupo Dom do que nos do grupo Inst e as variáveis com maior influência na satisfação são as práticas religiosas, a prática de actividade regular, melhor funcionalidade familiar e a ausência de quadros depressivos. Já o género, a idade, o estado civil, a escolaridade, a situação económica, o valor da reforma e o local de residência, mostraram-se independentes da satisfação com a vida destes idosos.
Descrição: Dissertação de mestrado em Gerontologia Social, Universidade Lusíada de Lisboa, 2014
Exame público realizado em 28 de Março de 2014
URI: http://hdl.handle.net/11067/861
Tipo de Documento: Dissertação de Mestrado
Aparece nas colecções:[ULL-ISSSL] Dissertações

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
mgs_eunice_seixas_dissertacao.pdfDissertação1,25 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis Logotipo do Orcid 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.