Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/11067/661
Título: Edifício Bloom : arquitectura e sustentabilidade
Autor: Simões, Francisco José da Silva, 1969-
Orientador: Ferreira, Alcino Baptista, 1942-
Palavras-chave: Edifícios sustentáveis - Portugal - Lisboa
Edifícios de escritórios - Portugal - Lisboa
Arquitectura sustentável - Portugal - Lisboa
Edifício Bloom (Lisboa, Portugal)
Data: 13-Dez-2013
Resumo: A concepção espacial deste edifício foi definida com base num conjunto de pressupostos, nomeadamente o rigor arquitectónico, a simplicidade e a clareza de leitura. O edifício procurou exprimir um conceito dinâmico e de conexão com a envolvente, expressado pelo movimento Desencontrado e escalonado de palas de sombreamento existentes na fachada principal. A edificação foi projectada tendo em conta as preocupações ambientais actuais, cumprindo todos os requisitos da classificação energética classe A. Esta premissa foi conseguida através da utilização de vários sistemas construtivos, como lâminas de sombreamento, vidros duplos, painéis solares e fotovoltaicos, cobertura ajardinada, ar condicionado por indução, torneiras de sensor, e uma unidade inteligente, que gere e optimiza os consumos energéticos e sistemas de segurança. Tendo em conta a importância actual desta temática, esta dissertação tem como objectivo principal analisar as características do edifício, de modo a aprofundar o estudo realizado pelo autor aquando da execução do projecto como arquitecto e promotor. A finalidade passa por definir características, gerais, específicas e técnicas, de forma a assumir que este edifício é uma mais-valia para o crescimento de uma atitude Sustentável. As questões principais assentam em duas vertentes: na percepção das vantagens inerentes ao conjunto dos sistemas construtivos, passivos e activos que constituem este edifício, e nas vantagens de uma relação próxima entre o promotor e o arquitecto, que neste edifício são a mesma pessoa. Esta fusão de interesses fomenta um completo entendimento do mercado, custos e obra. O conceito de sustentabilidade é aqui também caracterizado de modo alargado, considerando que arquitectura e economia estão Intrinsecamente ligadas. Assim, quando se refere a sustentabilidade arquitectónica, é necessário referir não só sustentabilidade construtiva, mas também sustentabilidade económica, sendo aqui fundamental o papel do promotor/arquitecto. Desta forma, o edifício Bloom encontra-se no caminho das soluções pró-activas do campo da arquitectura sustentável, utilizando uma política de princípios ecológicos, economicistas, de revalorização da área urbana e da qualidade de vida no trabalho.
Descrição: Dissertação de mestrado em Arquitectura, Universidade Lusíada de Lisboa, 2013
Exame público realizado em 11 de Dezembro de 2013
URI: http://hdl.handle.net/11067/661
Tipo de Documento: Dissertação de Mestrado
Aparece nas colecções:[ULL-FAA] Dissertações

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
ma_francisco_simoes_dissertacao.pdfDissertação39,07 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis Logotipo do Orcid 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.