Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11067/4463
Title: Agroturismo como reabilitação do património vernáculo : casa dos Pinto Guedes, Rio Caldo
Author: Costa, Ana Rita Raposo da
Advisor: Malheiro, Davide Miguel Guimarães
Keywords: Arquitectura tradicional
Reabilitação
Turismo rural
Issue Date: 2017
Abstract: Esta investigação procura compreender a importância do património vernáculo e a forma de o salvaguardar, assim como a necessidade de o valorizar segundo determinados princípios, através da sua adaptação às necessidades do nosso tempo, numa tentativa de inverter o seu estado de abandono, obsolescência ou ruína, factores que põem em risco o desaparecimento das memórias e dos valores tangíveis e intangíveis a ele associados. Para se conseguir combater a vulnerabilidade destes objectos arquitectónicos tradicionais, inseridos no património vernáculo, assim como o fenómeno da desruralização, como consequência do êxodo dos meios rurais, é necessário encontrar estratégias dinamizadoras que o voltem a reabilitar, sem que se ponha em causa a sua autenticidade, eternizando dessa forma as memórias, tradições e a identidade das populações que com ele convivem e de que dele se orgulham. A implementação de um novo uso pode tornar-se num factor positivo desde que o acto interventivo seja realizado segundo princípios e métodos construtivos adequados às pré-existências, com soluções e técnicas compatíveis, tal como indicam as cartas, convenções e recomendações sobre o património vernáculo, não só na resolução das patologias construtivas, mas também das carências sociais e económicas. Explora-se o conceito de agroturismo como um novo uso compatível com o património vernáculo, procurando compreender os limites de intervenção e a forma de adequar o novo uso com três casos de referência, extraindo os contributos que se consideraram pertinentes para se inserir na Casa dos Pinto Guedes, como caso de estudo.
This research seeks to understand the importance of vernacular heritage and how to safeguard it, as well as the need to value it according to certain principles, by adapting it to the needs of our time, in an attempt to reverse its state of abandonment, obsolescence or ruin , factors that endanger the disappearance of memories and the tangible and intangible values associated with them. In order to combat the vulnerability of these traditional architectural objects, embedded in the vernacular heritage, as well as the phenomenon of desurisation, as a consequence of the exodus from rural areas, it is necessary to find dynamic strategies that will rehabilitate it, without jeopardizing its authenticity, thus perpetuating the memories, traditions and identity of the people who live with and are proud of. The implementation of a new use can become a positive factor as long as the intervention is carried out according to principles and constructive methods appropriated to the pre-existences, with compatible solutions and techniques, as indicated in the letters, conventions and recommendations on the vernacular heritage , not only in the resolution of constructive pathologies, but also in social and economic needs. The concept of agrotourism is explored as a new use compatible with the vernacular heritage, seeking to understand the limits of intervention and how to adapt the new use with three cases of reference, extracting the contributions that were considered pertinent to be inserted in the House of the Pinto Guedes, as a case study.
Description: Mestrado Integrado em Arquitectura
Exame público realizado em 25 de Maio de 2018
Peer reviewed: no
URI: http://hdl.handle.net/11067/4463
Document Type: Master Thesis
Appears in Collections:[ULF-FAA] Dissertações

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
mia_ana_costa_dissertacao.pdf
  Restricted Access
Dissertacao16,99 MBAdobe PDFView/Open Request a copy


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis Logotipo do Orcid 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.