Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/11067/3287
Título: A envolvente e o programa como forma : estabelecimentos prisionais
Autor: Assunção, Mariana Sofia Aragão Almeida Guimarães de, 1993-
Orientador: Hipólito, Fernando Manuel Domingues, 1964-
Palavras-chave: Prisões - Projectos e construção
Data: 8-Mai-2017
Resumo: As prisões são um dos vários tipos de edifício que integram a sociedade actual, sendo que, no entanto, nem sempre foram consideradas como tal. Com as diferentes formas de pensar e com as constantes alterações à nossa realidade, tanto a nível histórico, como social e legislativo, a evolução foi notória neste tipo de estruturas. O edifício da prisão em si é algo recente na historia mundial, passando por vários momentos e várias tipologias, sendo exemplo disso a Cadeia do Limoeiro, que acolheu presos muito antes que existisse uma visão humana deste tipo de edifícios. À semelhança de quaisquer outros edifícios, também estes se relacionam com a envolvente, cumprindo um programa e estabelecendo uma forma que ocupa um território, como o Estabelecimento Prisional de Lisboa que se enquadra perfeitamente na cidade. São ainda edifícios de grande potencial quando desactivados, podendo ganhar outras formas e outras funcionalidades, como no caso da Biblioteca Municipal Álvaro de Campos em Tavira.
Descrição: Dissertação de mestrado integrado em Arquitectura, Universidade Lusíada de Lisboa, 2016
Exame público realizado em 5 de Maio de 2017
URI: http://hdl.handle.net/11067/3287
Tipo de Documento: Dissertação de Mestrado
Aparece nas colecções:[ULL-FAA] Dissertações

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
mia_mariana_assuncao_dissertacao.pdfDissertação16,78 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis Logotipo do Orcid 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.