Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/11067/318
Título: Arquitectura da memória em João Luís Carrilho da Graça
Autor: Tavares, Madalena Faria Blanc, 1986-
Palavras-chave: Arquitectura - Conservação e restauro
Edifícios - Reforma para outro uso
Graça, João Luís Carrilho da, 1952- - Crítica e interpretação
Data: 6-Set-2013
Resumo: A transformação sofrida nos ambientes construídos e no modo como o Homem experiencia o espaço obriga a novas reflexões sobre o tema da memória. Enquanto fenómeno social e colectivo, a memória integra-se nos lugares sob a forma de imaginário e aí permanece, dotando-os de identidade. Permitindo ao Homem compreender o seu passado, os lugares de memória possibilitam guardar materialmente o imaterial da herança recebida e até a própria História. Com o objectivo de compreender as razões que levam à protecção do património construído, são abordados os factos históricos e os intervenientes que lançaram as primeiras questões relativas às intervenções em preexistências do passado. Intimamente ligadas à evolução do próprio Homem, encontram-se por isso, os métodos desenvolvidos para a salvaguarda dos fragmentos e lugares de memória. Através de obras do Arqt. João Luís Carrilho da Graça, nomeadamente intervenções em preexistências patrimoniais, pretende-se abordar o tema da acção em estruturas do passado. Estas obras espelham a importância da leitura do lugar e do conhecimento da História, memória e identidade das preexistências com que dialogam. Através de uma linguagem contemporânea, e como resposta às necessidades programáticas actuais, o arquitecto age sob elementos do passado rememorando, adaptando e articulando. O seu trabalho reflecte as questões inerentes à intervenção na paisagem e à integração do objecto na envolvente. A recente relação entre a arquitectura e a arte, expressa na evolução e expansão dos espaços de cultura, possibilita novas formas de intervenção na paisagem. Resultante da compreensão de como a arte se insere no ambiente construído, a arquitectura adquire novos vocabulários e formas de integração. A arte revitaliza a memória dos lugares e dá ao Homem a capacidade de os reinterpretar. (Madalena Faria Blanc Tavares)
Descrição: Dissertação de mestrado integrado em Arquitectura, Universidade Lusíada de Lisboa, 2011
Exame público realizado em 14 de Março de 2012
URI: http://hdl.handle.net/11067/318
Tipo de Documento: Dissertação de Mestrado
Aparece nas colecções:[ULL-FAA] Dissertações

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
mia_madalena_tavares_dissertacao.pdfTexto integral47,1 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis Logotipo do Orcid 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.