Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/11067/2762
Título: A influência vernacular na arquitetura bioclimática
Autor: Pontes, Elder Agustin Gonçalves, 1985-
Orientador: Hipólito, Fernando Manuel Domingues, 1964-
Palavras-chave: Arquitectura e clima
Arquitectura sustentável
Arquitectura vernacular - Portugal
Data: 7-Fev-2017
Resumo: O instinto de sobrevivência do homem obrigou-o sempre à procura de um "abrigo", local de refúgio e proteção frente às adversidades da natureza. A diversidade climática e geográfica existente no planeta e a procura de abrigo por parte do homem originou diferentes soluções construtivas, sempre integradas e condicionadas ao território. É esta diversidade construtiva, característica de cada lugar, desenvolvida pela comunidade ao longo de varias gerações que deu origem à arquitetura vernacular, que em equilíbrio com a natureza, possibilitou a sobrevivência da humanidade durante séculos. Com o aparecimento de novas fontes de energia, avanços tecnológicos e a globalização, novas necessidades e possibilidades surgiram dando origem a métodos construtivos e materiais inovadores que se generalizaram, não respeitando a identidade da cultura nem o clima do território. Respondendo às necessidades de conforto através de soluções mecânicas dependentes de energia, o sector da construção tornou-se um dos maiores consumidores de recursos e energia, provocando um grande impacto negativo no meio ambiente. Perante esta realidade surge a importância da arquitetura Bioclimática, onde o clima e o contexto geográfico estão em primeiro plano, procurando através de soluções que melhor se adaptem ao território minimizar o consumo energético, proporcionar conforto e ao mesmo tempo preservar o meio ambiente. A utilização de técnicas passivas, adaptadas ao contexto geográfico, no momento da concepção do projeto torna-se fundamental para atingir melhores resultados energéticos. Muitas destas técnicas, presentes na Arquitetura vernacular, não devem ser esquecidas mas sim reinventadas e adaptadas á atualidade onde a arquitetura bioclimática aproveita este conhecimento e utiliza-o em beneficio de um melhor conforto que respeite o clima e o meio ambiente.
Descrição: Dissertação de mestrado integrado em Arquitectura, Universidade Lusíada de Lisboa, 2014
Exame público realizado em 14 de Maio de 2014
URI: http://hdl.handle.net/11067/2762
Tipo de Documento: Dissertação de Mestrado
Aparece nas colecções:[ULL-FAA] Dissertações

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
mia_elder_pontes_dissertacao.pdfDissertação67,44 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis Logotipo do Orcid 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.