Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/11067/2555
Título: Comportamento aditivo : a outra face da normalidade
Autor: Miguel, Márcio Osvaldo Vieira Coelh
Orientador: Ribeiro, Sílvia Maria da Rocha
Pardelinha, Ana Carolina de Freitas Gomes Fernandes
Palavras-chave: Psicologia
Psicologia clínica
Comportamentos aditivos
Toxicodependência
Comportamento
Alcoolismo
Psicopatologia
Data: 3-Ago-2016
Resumo: De facto, não se encontram soluções mágicas para a droga. Contudo, com ajuda eficaz, alguns consumidores de substâncias encontram o equilíbrio psicológico. Esta breve introdução pretende enquadrar o presente relatório Este diz respeito a descrição de todas as actividades desenvolvidas no decurso do estágio efectuado no Centro de Respostas Integradas (Equipa Técnica) de Vila Real, instituição â??acolhedoraâ?? do mesmo, que decorreu no período de tempo compreendido entre 28 de Setembro de 2009 e 31 de Março de 2010. A selecção desta instituição para a realização do estágio, tratou-se de uma escolha pessoal, por conhecermos o excelente trabalho que tem vindo a ser desenvolvido pela equipa que a constitui. Consideramos que seria uma oportunidade única para desenvolver e reforçar competências de avaliação e intervenção psicológicas e aprofundar conhecimentos no que concerne às problemáticas das toxicodependências e alcoolismo. O fenómeno de abuso e dependência de substâncias fascina e continuará a fascinar os estudiosos do comportamento humano que continuam a dissecar todos os factores a ele associados. Efectivamente, os indivíduos consumidores dependentes de substâncias constituem-se, apenas, um dos múltiplos agentes do fenómeno droga, contudo revelar-se-ão, certamente, os mais frágeis, possuindo o direito de serem ajudados a reencontrar a liberdade perdida. No que concerne aos consumidores não dependentes, estes encontram-se, sempre, a tempo de recuperar a liberdade que, por ventura, arriscarão hipotecar. De facto, como indivíduos que são, arriscam-se a perdê-la. Na verdade, não existem super-homens, nem super-mulheres. Certamente, constituir-se-ia relevante que â??acordassemâ?? a tempo. De igual modo, as famílias necessitam de se encontrar â??acordadasâ??, atentas e críticas ao que se vai passando, de modo que, as problemáticas de abuso e dependência de substâncias, não surjam como um mecanismo de homeostasia familiar. Efectivamente, as que habitam com um â??grande elefante no meio da salaâ??, que dificulta a comunicação entre os elementos que nela se encontram, necessitam, também, de auxílio psicológico. Seguramente, a culpabilização não resolve estas problemáticas. No entanto, o pensamento lúcido e a capacidade crítica poderão, certamente, ajudar na resolução das dificuldades.
Descrição: Relatório de estágio realizado no âmbito do Mestrado em Psicologia Clínica.
Exame público realizado em 19 de Outubro de 2010.
URI: http://hdl.handle.net/11067/2555
Tipo de Documento: Relatório
Aparece nas colecções:[ULP-IPCE] Relatórios

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Relatório de estágio.pdf
  Restricted Access
573,72 kBAdobe PDFVer/Abrir Request a copy


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis Logotipo do Orcid 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.