Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/11067/2207
Título: Da adolescência à maternidade
Autor: Cruz, Mery Cristina Borges da
Orientador: Pires, Ana Meireles Sousa
Leal, Paula
Palavras-chave: Psicologia
Psicologia clínica
Intervenção psicológica
Adolescentes
Maternidade
Institucionalização
Data: 20-Abr-2016
Resumo: O presente relatório tem como objetivo expor, uma visão geral do percurso e do trabalho realizado ao longo do estágio curricular do Mestrado cm Psicologia Clínica da Universidade Lusíada do Porto, realizado na Comunidade de Inserção Engenheiro Paulo Vallada. O estágio curricular teve inicio no dia 9 de Outubro de 2012 e foi dado como concluído ao fim de 921 horas, no dia 26 de Julho de 2013. A Comunidade de inserção Eng.° Paulo Vallada é um equipamento social da Fundação da Juventude, localizado na Rua da Vitória n° 107, na zona histórica do Porto, tendo aberto as suas portas cm Setembro de 2007. Tem como objetivos contribuir para a progressiva inserção social de jovens mães, através de diversas ações, desenvolvidas com base nas suas necessidades concretas. São jovens grávidas ou com filhos recém-nascidos, com idades compreendidas entre os 12 e os 21 anos, cm situações de risco, decorrentes de abandono, maus-tratos, negligências ou outros fatores. O período de acolhimento é determinado caso a caso, tendo em conta a situação e as necessidades da jovem e seu filho. Durante a estadia, a equipa (após avaliação da situação) e cm colaboração com a jovem, elabora um plano de intervenção que é constituído por um conjunto de ações relacionadas com o restabelecimento do equilíbrio emocional e psicológico da jovem e do filho, destinadas a promover a sua autonomia e a gradual inserção familiar, escolar e social. O fenómeno presente neste contexto institucional é a vivência da maternidade (não planeada e por vezes no desejada), que acontece durante uma fase do desenvolvimento humano, por sua natureza, turbulento e de grande tensão emocional que é a adolescência. De braço dado com este acontecimento de vida não normativo, está uma realidade que pode constituir-se como uma situação de “extrema privação social” (Bos et al., 2011 cit in Neves, 2012), pois frequentemente priva as crianças e jovens de interações recíprocas com cuidadores estáveis: falamos da Institucionalização. Para melhor compreendermos o papel do Psicólogo neste contexto e, os desafios que se colocam à intervenção com estas jovens mães, serão abordadas questões que se prendem com a adolescência, a maternidade e a institucionalização. Numa primeira parte corno pesquisa cientifica e, posteriormente, integrando o conhecimento que advém da revisão da literatura com o da realidade que se vive na Comunidade de Inserção, palco do nosso estágio.
Descrição: Relatório de estágio realizado no âmbito do mestrado em Psicologia Clínica.
Exame público realizado em 07 de Janeiro de 2014.
URI: http://hdl.handle.net/11067/2207
Tipo de Documento: Relatório
Aparece nas colecções:[ULP-IPCE] Relatórios

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Relatorio de estagio.pdf
  Restricted Access
Relatório de Estágio2,27 MBAdobe PDFVer/Abrir Request a copy


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis Logotipo do Orcid 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.