Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/11067/1170
Título: A arquitectura para a cidade criativa
Autor: Abreu, Daniel Braga Couto
Orientador: Alves, Francisco Peixoto
Palavras-chave: Arquitectura
Criatividade
Intervenção Urbana
Vila do Conde (Portugal)
Data: 26-Set-2014
Resumo: Nas últimas décadas temos assistido a uma mudança gradual dos sistemas e necessidades laborais. Num mercado cada vez mais globaln onde a produção insdustrial está a ser transferida para os países com reduzidos custos de mão-de-obra, e os trabalhadores do conhecimento e da informação a serem substituídos por computadores com potentes software, é fundamental desenvolver novos métodos de trabalho baseados na criatividade. No capítulo I percorremos o tema das Cidades Criativas desde a economia criativa à valorização da criatividade enquanto fator de desenvolvimento social e económico. Abordamos a regeneração urbana e o valor da criatividade, sempre baseado na identidade, cultura e memória de cada cidade ou lugar, e ainda o surgimento da nova classe criativa.O entendimento do processo criativo na arquitectura sob ponto de vista intelectual do Homem e como os elementos cognitivos inerentes à criatividade podem contribuir para a valorização da Arquitectura, quer a nível financeiro quer conceptual. No capítulo II foi elaborado um projeto como ensaio na cidade de Vila do Conde sob o ponto de vista da importância da arquitectura no tema das Cidades Criativas. A arquitectura pode ajudar no plano de regeneraçãp da cidade, valorizar uma zona degradada e ainda interagir com as pessoas como ponto de "contaminação" e partilha de ideias na cidade.
In the last decades we have seen a progressive change of the labouring systems and needs. In a more and more global market where the industrial production is being transferred to the countries with a reduced workmanship, and where the workers of knowledge and information are replaced by computers and powerful software, it is fundamental develop new labouring methods based on creativity. In the Chapter I we examine the theme “Creative Cities” from the creative economy to the valorisation of the creativity as a factor of social and economical development. We deal with the urban renewal and the value of the creativity always based on the identity, culture and memory of each city or place, and also with the appearance of the new creative class. In this chapter we also consider the understanding of the creative process in the architecture in respect to the intellectual point of view of the Human Being and how the cognitive elements inherent to the creativity can contribute to the valorisation of the Architecture, either at a financial level or at a conceptual one. In the Chapter II it was worked out a test project in the city of Vila do Conde in respect to the importance of the architecture on the “Creative Cities” theme. The architecture can help to plan the renewal of the city, to value a rundown area and also to interact with people as a starting place of “contagion” and share of ideas in the city. The architecture has the capacity to cause emotions and communicate with people and the city. The approach to the creative atmosphere, to aesthetics and beauty, to perception, to memory, to imagination and to inspiration stands the concept that says the product can generate wealth allowing a valued development.
Descrição: Mestrado Integrado em Arquitectura
Exame público realizado em 21 de Julho de 2014
URI: http://hdl.handle.net/11067/1170
Tipo de Documento: Dissertação de Mestrado
Aparece nas colecções:[ULF-FAA] Dissertações

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
mia_daniel_abreu_dissertacao.pdfDissertação82,32 MBAdobe PDFThumbnail
Ver/Abrir
mia_daniel_abreu_declaracao.pdf
  Restricted Access
Declaração295,17 kBAdobe PDFVer/Abrir Request a copy


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis Logotipo do Orcid 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.